sexta-feira, 26 de outubro de 2012

Spiel '12 - A Primeira Vez!

Hoje temos um convidado especial para escrever o post! Trata-se do amigo de jogatinas Maurício Torselli que esteve em Essen acompanhando uma das maiores feiras de board games do mundo! Com a palavra, Torselli:



Fiquei muito feliz de ter sido convidado pelo Vince para ser "Reporter por um dia" (ou na verdade, dois) durante a Spiel - a feira internacional de board games (e comics - mas quem se importa com isso?) realizada anualmente na cidade de Essen, Alemanha. Ela acontece há 30 (!) anos, e neste ano ocorreu entre os dias 18 e 21 de Outubro de 2012. Dessa forma, segue meu relato (e algumas fotos) dos dois dias que eu visitei a feira, o que eu achei, e o que fazer por lá.

A Feira

A Spiel é uma feira de exposição de jogos de tabuleiro (80%), RPG (10%) e quadrinhos (10%). Vou tratar aqui do espaço destinado aos boardgames, já que eu nem sequer entrei no salão de quadrinhos, e apenas passei pelo de RPG. Imagine uma mistura de Salão do Automóvel com Feira de Malhas, e talvez você consiga ter uma ideia do que acontece por lá.

O aspecto 'Salão do Automóvel" significa que lá acontece os lançamentos mais esperados do ano, além de demonstrações de boardgames novos e daqueles que receberam prêmios durante o ano. É lotado de gente - desde 'gamers' aficcionados até famílias inteiras, todos atrás dos lançamentos e de novos jogos de tabuleiro. O aspecto "Feira de Malhas" é que praticamente tudo que tem por lá está à venda - diretamente ao público. E dá-lhe gente carregando sacolas, arrastando carrinhos, malas, tudo devidamente lotado com muitos boardgames.

Os stands (booths) da feira podem ser resumidos basicamente em três tipos:

- Publishers: as editoras, que levam seus lançamentos para demonstração e venda. Você encontra desde as grandes publishers (a Pegasus por exemplo tinha 4 stands, e a Queen uns 3 ou 4 também), até pequenos publishers individuais ou grupo de publishers (como por exemplo a Japon Brand, que reúne diversos publishers japoneses). A maioria gigantesca é alemã, sendo que o pavilhão 4 era o internacional - tchecos, poloneses, japoneses, chineses, franceses - a galera do resto do mundo estava toda lá. Você acha também os clássicos (Hasbro), brinquedos, puzzles, etc. Os stands das publishers de forma geral contam com mesas (de 2 a muitas) nos quais os lançamentos são explicados e demonstrados, e qualquer um pode chegar e jogar. Jogar durante a Spiel é fácil - o difícil é achar lugar para jogar o que você quer. Jogos e publishers mais desconhecidos sempre tinham lugares vazios; os jogos mais hypados estavam sempre lotados.

- Lojas: lojas online e off-line (como Spiel-Offensive e AllGames4You) tem seus stands na feira, vendendo lançamentos por um preço ligeiramente menor que os publishers (ou igual), e também com 'saldões' gigantes - pilhas e pilhas de jogos com preços de 0,95 (!!!) a 10, 15 Euros.

- Second-Hand: lojas de jogos usados - em sua grande maioria, OOPs e raridades. Algumas dessas lojas são especializadas (em wargames, por exemplo).



O que fazer por lá

A maioria das pessoas (da Europa) que visitam a feira estão lá para conhecer as novidades e jogar o maior número de jogos possíveis - e, desta forma, escolher o que vão comprar durante o próximo ano. Além disso, vão procurar jogos usados raros, e jogos de pequenas tiragens - que não são fáceis de encontrar durante o restante do ano. Mas raramente compram novidades de grandes publishers e de tiragem alta - a não ser que façam questão de ter o jogo alguns meses antes do lançamento nas lojas. Os preços das novidades, na Spiel, é bastante alto, com grande possibilidade de redução depois que eles começarem a ser vendidos nas lojas.

Para nós, brasileiros que não temos onde comprar jogos de tabuleiro, a Spiel é a maior loja do mundo. É de enloquecer a quantidade de jogos, e dá vontade de trazer um de casa na mala. Eu, particularmente, fui para comprar - e voltei com 26 jogos de lá (fomos em três pessoas e voltamos, no total, com 120 kg de jogos!)



O que bombou esse ano

Os corredores são sempre lotados - é gente vendo loja, vendo jogo, conversando, carrinhos, pacotes, malas, etc. Mas alguns lugares ficaram especialmente lotados. Entre eles, percebi:

1. O Stand GIGANTE da Queen, onde o "Escape" estava sendo demonstrado. O jogo demora EXATOS 10 minutos (mais uns 5 de explicação), tinham umas 40 mesas com o jogo, e estava sempre cheio. Mas não era difícil achar lugar para jogar, já que as pessoas rodavam muito rapidamente (devido ao rápido tempo de jogo).

2. Um dos stands da Pegasus, com o Village - jogo que ganhou o Kennerspiel das Jahre, um dos principais prêmios para jogos de estratégia. Tinham umas 20 mesas com o jogo, sempre lotadas.

3. A fila da Fragor Games, com o Spellbound, cujo preorder esgotou em 6 dias, mas havia algumas cópias (100 eu acho) para venda no primeiro dia de feira. Acabou tudo nas primeiras horas da quinta.

4. Terra Mystica foi outro jogo que, na metade do primeiro dia, não tinha mais. Não sei quantas cópias foram feitas, mas acabaram rapidamente.

5. O stand da LookOut, com promos e novos decks para o Agricola, tinha fila constante no primeiro dia de feira.



O que eu joguei

Como comprei muita coisa e ia trazer os grandes lançamentos, acabei jogando pouco:

Fairy Land - Um set collection com alguns twists, com um leilão que lembra um pouco o do Ra. Achei interessantezinho, e trouxemos uma cópia. Arte bonita, mas um pouco feminina...

Get Bit! - Era o lançamento da versão Deluxe. Um jogo de seleção simultanea de ações... e mais nada. O charme é o boneco sendo desmembrado aos poucos. Ficou por lá mesmo.

Tweeeet! - Lançamento da Cwali, do autor do Factory Fun. A ideia é inteligente (apesar de abstrata) - passarinhos devem voar até o próximo campo de comida, gastando comida como "combustível". Cada tipo de comida tem um valor diferente, que permite andar um certo número de hexágonos. Não se pode voar sobre água ou sobre os adversários. Se você não tiver comida suficiente para voar até a próxima comida, você está eliminado. O jogo é em times, e quem chegar com maior quantidade de comida ao fim do jogo vence. Em três pessoas, a sorte na virada dos caminhos foi muito decisiva para o jogo. Em 6 pessoas, com todos jogando bastante agressivamente, pode ser interessante. Mas ficou por lá. Ah! - Os componentes são lindos - mas super 'quebráveis'.

Hooop! - Jogo da polonesa Granna - não é novo, mas como foi a primeira vez que a editora foi a Essen, eles levaram jogos deles para demonstração. Cada jogador tem 3 sapos, e deve levar os seus sapos da sua casa para as casas dos adversários, por meio de pontes que ligam vitórias-régias. Cada vez que um sapo pula uma ponte, ela quebra. Mega-super-hiper abstrato, e de rejogabilidade duvidosa.. ficou por lá.

Escape: The Curse of the Templo - o jogo está em primeiro lugar no Buzz do BGG sobre a Spiel, e já está entre os top 1000 do BGG, com média de 7.33... e é a maior bobagem que eu já vi. É um jogo cooperativo em tempo real (10 minutos), em que os jogadores devem escapar do templo antes dele colapsar. Para isso você rola dados. Só. Não há decisões, não há escolhas, estratégias, nada - é só um rolar de dados frenéticos, tentando arrumar a combinação certa para mover de uma sala para a outra. Eu achei muito ruim mesmo, mas por algum motivo que eu sou incapaz de entender, as pessoas gostaram.

Pretende ir? Algumas dicas importantes!

Se você é aficcionado por boardgames (e deve ser, senão não estaria lendo até aqui), eu acho que pelo menos uma vez na vida você deve ir à Spiel. Entretanto, não acho que valha à pena você viajar até a Alemanha só para isso - programe uma viagem para a Alemanha (ou outros países da Europa) e TERMINE em Essen (sim, pq vc vai estar carregado de coisas!!). Algumas dicas:

1. Essen fica na parte Oeste da Alemanha, próximo da Holanda. O aeroporto internacional de Frankfurt fica a 200 km de Essen, e é o mais próximo que conta com vôos diretos do Brasil (pela TAM/Lan/Lufthansa).

2. Holanda, Bélgica e Alemanha são alguns países "próximos" e passíveis de serem visitados durante a viagem.

3. ALUGUE UM CARRO!!!! A não ser que você não pretenda comprar nada (o que eu duvido), ou vá ficar hospedado no hotel que fica adjacente ao Centro de Convenções (que é bem caro), você precisará de um carro para carregar as coisas.. No primeiro dia fizemos 3 viagens ao carro para deixar os jogos.

4. A não ser que você pretenda comer mal e pagar caro, leve algo para comer/beber. Dentro do centro de convenções a comida é cara e ruim; as bebidas também não são muito baratas.

5. Leve sacolas, malas, alguma coisa para transportar os jogos comprados. Nem todas as editoras oferecem sacola na compra dos jogos. Aquelas EcoBags de lona (para supermercado) são boas para isso - sacolas de plástico tendem a rasgar.

6. Leve um mapa impresso e pesquise um pouco o que pretende visitar - especialmente se for ficar poucos dias. Perder-se lá dentro é o que há de mais fácil. Vá anotando no mapa o que já foi visto, comprado, etc.

7. Só faça pre-orders se o jogo tiver uma tiragem muito baixa, se o desconto da pre-order for realmente bom, ou se você fizer questão absoluta de um jogo MUITO hypado. De forma geral, tem jogo pra todo mundo, e não vai acabar (especialmente no primeiro dia).

8. Vá jantar no La India Bonita (http://www.la-india-bonita.de/), se gostar de comida indiana. Não é baratíssimo, mas a qualidade da comida é excepcional.

É isso aí! Espero que tenham gostado, e se tiverem alguma dúvida, pergunta ou curiosidade, comentem aqui no blog ou entrem em contato comigo no torselli at gmail dot com.

Um abraço!

4 comentários:

Marceleza disse...

Fale .. belo post Mauricio.. penso em visitar a feira pelo menos uma vez na vida. .rsrsrsrsr.. quem sabe em 2013.
Algum comentário sobre o stand da runadrake ? vi algumas fotos e eles estavam com o Turned para venda lá!
Abraço !

Dragos disse...

Eu fui um dos outros dois que esteve com o Torselli em Essen. Realmente uma experiência sem igual para quem é fã de boards.
Uma coisa que vale a pena comentar e que ele acabou deixando de fora: do ponto de vista econômico (custo da viagem x importar os jogos via correio), vale a pena? Como muitos devem imaginar, resposta óbvia é não.
Entretanto, levando-se em consideração um passeio pela Europa como fizemos aliado à oportunidade de fazer compras e conseguir promos gratis ou pelo custo minimo é excelente.
Na receita federal ao chegar no Brasil fomos todos direcionados para inspeção mas ao notar que nao havia nenhum eletrônico nas caixas, fomos os tres liberados sem sequer abrir as caixas.
Resumindo: vale a pena ir pelo menos uma vez na vida de um gamer.
Abs,
Daniel Martinez

Mauricio Torselli disse...

Marcelo, eu sinceramente nem vi o stand da Runadrake, assim como devo ter perdido muitos outros... Mas sei que seu jogo foi lançado lá.. Parabéns!

sizi disse...

Muito legal o seu relato Mauricio! Quem sabe rola uma próxima vez e voces ficarem aqui em casa :) Esse ano foi meio estranho em Essen e sábado que costuma ser mais lotado estava até mais tranquilo que a quinta e a sexta. Domingo estava bem tranquilo como de costume... Nós saímos de lá com 30 jogos... :) Em breve reviews dos jogos vão começar a ser publicadas na Meople's Magazine :) E ano que vem estaremos lá novamente... Se o mundo não acabar em dezembro!