quinta-feira, 17 de maio de 2018

MIND ALONE: meu novo game mobile já está disponível para download!

Esse post é pra divulgar uma boa novidade: saiu hoje meu novo game mobile. Quem acompanha meus posts aqui sabe que eu sou fã de indie games e experimentos lúdicos. Eu curto jogos clássicos, mas aprecio umas esquisitices também (tanto no digital quanto no analógico).

Nesse post eu gostaria de compartilhar meu último experimento lúdico que criei e lancei junto com a empresa Sioux: trata-se do game mobile MIND ALONE.



MIND ALONE é um experimento. É o primeiro jogo de uma trilogia sobre uma personagem presa em sua própria mente. Ela precisa escapar desse labirinto e, para isso, precisa solucionar puzzle criados somente com textos que são suas memórias. Cada solução faz a narrativa avançar para uma memória mais recente.

Dá uma sacada no trailer:



O jogo ainda está sofrendo pequenos ajustes e, provavelmente, terá mais puzzles brevemente. Como um diferencial, ele usa diferentes features dos smartphones para criar a solução dos quebra-cabeças.

O download é gratuito e está disponível para Apple e Android. Baixe, jogue e dê seu feedback! Espero que gostem da estranheza. Seguem algumas imagens de telas do game:







#GoGamers

domingo, 13 de maio de 2018

Scratch Wars

Bom, este aqui é mais um que vai entrar na prateleira de "elementos inusitados" da minha coleção. Scratch Wars é um card game originário da República Tcheca que possui alguns diferencias bastante interessantes, sobretudo para usar em aulas de game design e marketing de games. Vamos falar um pouquinho de cada um dos aspectos interessantes desse jogo.



Primeiramente vamos falar um pouco sobre o nome do game: Scratch Wars. O "scratch" do título, que pode ser traduzido como "arranhado" ou "raspado" tem a ver com o fato que todas as cartas de personagens e armas do jogo veem com a mesma cobertura e você precisa - literalmente - arranhar igual a uma raspadinha para descobrir o que tem por baixo. Algumas das razões disso: 1) é um diferencial pitoresco para o produto; 2) acaba com a necessidade de ter um envelope de booster (as cartinhas são vendidas soltas). Olhem só o processo de descobrir o que eu tirei no meu starter pack (que vem com uma espécie de palheta de guitarra para arranhar mais uniformemente).







O game em si é muito simples: cada player escolhe um guerreiro (e o game tem um sistema de recombinação que oferece milhares deles em milhares de cartinhas) e até 5 armas. Guerreiros são uma cartinha normal e as armas são círculos destacáveis como da figura anterior. Agora, um diferencial interessante do joguinho é o sistema de combate. Cada jogador coloca um "aro" de arma em um stick (que é o mesmo usado para marcar vida do personagem) e gira; onde para é o dano/poder que irá afetar o adversário. Olha o vídeo a seguir:





O game tem uma série de desdobramentos em aplicativo e site. É possível digitalizar as cartas para jogar usando o smartphone (e não ter que carregar sua coleção). A parte triste é que o app só está disponível na República Tcheca.



Bem curioso e divertidinho. Para quem quiser conhecer o site oficial, clique aqui.

#GoGamers

segunda-feira, 7 de maio de 2018

IHRYSKO: visitando mais uma vez esta loja incrível em Bratislava (Slovakia)

Bom, quem lê o Game Analyticz já deve ter visto algum post sobre esta loja incrível. Encurtando a história: em 2016 eu morei por um semestre na Bratislava (capital da Eslováquia) fazendo doutorado; a Ihrysko foi um redutos lúdicos que me acolheu nessa temporada. Eu ia semanalmente lá para jogar alguma coisa e bater papo com a galera. É uma senhora loja com excelente atendimento e um catálogo extremamente bem servido de jogos para todos os gostos. Os preços são bons porque na Eslováquia o custo de vida é menor que em grandes centros da Europa.

Nessa visita foquei em coisas locais e da República Tcheca. Comprei umas coisas bem estranhas, mas que vão render boas discussões nas aulas de game design; jogos com componentes esquisitos e bem criativos.

Dessa vez eu vim convidado pela Paneuropska Vysoka Škola (universidade que estudei) para alguns eventos e palestras na Eslováquia e Israel (brevemente um post sobre uma loja incrível de Tel Aviv). Voltar pra Bratislava é sempre um prazer enorme. Revisitar este lugar incrível é sempre uma experiência nova!

Seguem algumas belas fotos dessa loja do coração:







E, pra terminar, uma icônica foto do "man at work"!



#GoSlovakianGamers

domingo, 29 de abril de 2018

By Order of the Queen

Achei bem fraquinho esse aqui. Joguinho meio sem sal. "By Order of the Queen" é um jogo cooperativo que os jogadores precisam cumprir ordens da rainha salvando o reino de ataques de monstros e cumprindo quests que garantem poderes e recursos.



Eu achei meio repetitivo. A arte é bacana e o pack de componentes é legal, mas é um game de quase duas horas. Confesso que cansou um pouco e, por ser coop, não teve muita discussão entre os jogadores.

Mas é sempre bom conhecer coisa nova.

#GoGamers

domingo, 22 de abril de 2018

Near and Far

Ryan Laukat; esse é um nome para se prestar atenção quando falamos de board games. O sujeito cria coisas complexas e cheias de recursos sendo que, de quebra, ainda faz toda a arte do jogo. É de tirar o chapéu - também - porque suas criações são bem diferenciadas e legais. Joguei recentemente Near and Far desse autor; baita experiência imersiva. Vou ver se consigo sintetizar a essência aqui nesse post.



Pra começar é preciso contar um pouco da dinâmica de componentes. O game vem com um livro tabuleiro. Isso mesmo. Uma série de mapas que são formados conforme as páginas se abrem. Isso gera uma enormidade de cenários possíveis para as aventuras. Tem pra todos os gostos e níveis de dificuldade. Complementar ao livro-tabuleiro, há um livro com as quests. Uma vez que os players vão se aventurar no mapa, vão cair em desafios e o livro tem uma enormidade deles; essa parte é RPG total (com os detalhamentos narrativos, inclusive).



A complexidade é grande: há combates entre os players, parte de alocação de trabalhadores, dice rolling, set collection etc. A quantidade de componentes é alta e o tempo das partidas também (jogamos uma partida básica e foi três horas e meia).



O componente RPGístico dá um tom todo especial para a brincadeira. No grupo certo gera excelentes momentos e uma competitividade acirrada. É um game com boa pontuação final e que deixa na dúvida quem vai ganhar com boas surpresas.

Excelente ter conhecido esse aqui. Uma aula de gae design e sobre como os elementos estéticos do jogo tem que estar alinhados com a jogabilidade.

#GoGamers

segunda-feira, 16 de abril de 2018

Queendomino

Em um post de algumas semanas atrás falei do Kingdomino que acabou de chegar na minha coleção. Pois é, os responsáveis pegaram o embalo e lançaram o Queendomino.



Bem, muda o molho e a batata é a mesma. O jogo é exatamente igual em termos de mecânica central; no entanto, o Queendomino adicionou cidades, prédios que podem ser construídos gerando poderes, soldados, dinheiro para comprar itens, um dragão para destruir os tiles de prédio e a rainha que ajuda a construir seu reino.

O grande lance é que o game ganha novas possibilidades de combos e pontuação, mas, honestamente, prefiro a simplicidade do Kingdomino ainda.

#GoGamers

sexta-feira, 13 de abril de 2018

#GoGamers: estudos de jogos na ESPM >> um livro gratuito para discutir o universo dos games

Leitoras e leitores do Game Analyticz, venho por meio deste post dar um presente para vocês: trata-se do livro #GoGamers: estudos de jogos na ESPM, uma publicação em creative commons que tive a honra de organizar aqui na ESPM.

Com textos variados e abordando temas que vão dos jogos analógicos aos digitais, esta publicação chega para divulgar os estudos de games que fazemos aqui na faculdade. São quatro os eixos temáticos: game design, game cultura, mercado & business e educação & games.

CLIQUE AQUI PARA BAIXAR.



#GoGamers